NOTÍCIAS

Postado em 22 de Dezembro de 2016 às 15h11

Definido horário de plantão durante recesso

SINJUSMAT O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, determinou a publicação da Portaria nº 661/2016, que estabelece o expediente do Poder Judiciário de Mato Grosso durante...

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Paulo da Cunha, determinou a publicação da Portaria nº 661/2016, que estabelece o expediente do Poder Judiciário de Mato Grosso durante o recesso forense (20 de dezembro de 2016 a 6 de janeiro de 2017) das 13h às 18h. O documento está disponibilizado na edição desta quinta-feira (17 de novembro) do Diário da Justiça Eletrônico (DJE), nº 9899. Confira AQUI o documento.

De acordo com a Portaria, durante o recesso será mantido regime de plantão, com número de servidores suficiente para atender as demandas.

No período do recesso forense, em regime de plantão, serão apreciados apenas os feitos que demandem medidas liminares ou em que haja risco iminente do perecimento de direito, ou de dano irreparável ou de difícil reparação. As medidas judiciais protocolizadas após as 15h do dia 19 de dezembro de 2016 deverão ser encaminhadas ao exame do magistrado plantonista.

Os juízes diretores dos Foros das 79 comarcas do Estado deverão elaborar uma escala dos servidores para trabalhar no plantão do recesso forense. No Tribunal de Justiça, esta competência cabe aos coordenadores.


Coordenadoria de Comunicação do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
(65) 3617-3393/3394/3409

Veja também

Clínica odontológica do Sinjusmat é furtada 06/07/17 Durante a madrugada do último dia 04 de julho o Sinjusmat teve sua Clínica Odontológica arrombada. Para entrar na clínica meliantes desativaram o alarme e forçaram a porta de acesso. Lá dentro fizeram uma devassa em armários, gavetas e arquivos. Foram furtados vários pertences, dentre eles equipamentos odontológicos, computadores, impressora,......
TJ pode posicionar-se contra Taques e cobrar duodécimos atrasados23/05 O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso ( Sinjusmat) entende que, neste momento, cabe ao presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos, cobrar judicialmente os cerca de R$ 300 milhões em repasses......

Voltar para Notícias