01

    02

    Aba 1

    Presidente do sindicato dos servidores da justiça rebate Paulo Guedes e afirma que servidor público não é parasita

    O presidente do SINJUSMAT — Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso — Rosenwal Rodrigues, repudiou veementemente as declarações do ministro da Economia Paulo Guedes dadas nesta sexta-feira, 7, em evento para empresários no Rio de Janeiro, onde afirmou que os servidores públicos brasileiros são parasitas e estão matando o governo ao recebem reajustes automáticos enquanto os estados estão quebrados.

    "Esse ministro finge não saber da realidade dos servidores. Primeiro que os serviços essenciais prestados à sociedade são todos mantidos de pé por conta da dedicação dos servidores públicos. Educação, saúde, segurança, e mesmo o acesso à justiça, por trás de todos desses serviços estão valorosos servidores públicos. No judiciário, nas comarcas mais longínquas eles estão lá, garantindo o atendimento à população", responde Rosenwal que por sua atuação sindical conhece de perto a realidade dos servidores públicos.

    Rosenwal afirma ainda que o ministro Paulo Guedes faz esse ataque aos servidores públicos no momento em que prepara o terreno para a apresentação do projeto de reforma administrativa do governo federal que, dentre outras coisas, propõem inclusive a possibilidade de quebra da estabilidade e demissões.

    "Ao mesmo tempo em que o ministro é benevolente com os bancos e grandes empresas, se volta contra a parte mais fraca. Agiu assim na reforma da previdência, ao determinar aos estados que esses deveriam aumentar o valor da alíquota da contribuição previdenciária, o que na prática significa redução dos rendimentos dos servidores, sem tocar, por exemplo, no escândalo da dívida pública que retira recursos volumosos do orçamento da União para pagar juros a banqueiros e à especulação financeira", explica Rosenwal Rodrigues.

    "O sonho do ministro Paulo Guedes era ingressar no serviço público federal. Certamente, pelo fato de não ter obtido êxito em concursos, o ministro se tornou essa pessoa recalcada e rancorosa com os servidores públicos", completa Rosenwal.

    O SINJUSMAT é membro da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil, cuja a diretoria já entrou em contato com o sindicato e afirmou que o departamento jurídico da Confederação está preparando uma ação judicial em nível nacional contra o ministro, por injúria, calúnia e difamação.